Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alma do Diabo

Alma do Diabo

Andreia C. Faria . Odeio e amo

07.01.24
“Odeio este tempo e a forma como os artistas, os opinadores, os decisores, os identitários, os proprietários, os poseurs, os empreendedores se movem nele: com avidez e condescendência, como se alguém, acenando de um qualquer futuro, lhes prestasse já homenagem. Bestas sensíveis, argutas, que para defenderem o seu prazer inundam à terra inteira um terror sofisticado, com disfarce de razão e alegria. Odeio os boçais, os intelectuais, os hedonistas. Os pais que geram filhos num (...)

Televisão da política de alguidar

09.12.23
No lodo político nacional, em mais uma das dezenas de crises a prazo - que há-de terminar no surgimento de um qualquer próximo governo - há espaço para o “prime-time” televisivo ser aberto a entrevistas aos candidatos a futuros órgãos executivos. Pelo ecrã surgem alegres e sempre confiantes os putativos deputados da nossa república. Os órgãos televisivos esfregam as mãos com tanta carne pronta a cozinhar perante o olhar esfomeado dos telespectadores. Prepara-se o decoro e (...)

Impressões em mais do que três linhas

Grandes notas de arte contemporânea por um lerdo

26.11.23
Se há coisa de que os portugueses se podem orgulhar é de terem um país com uma expressão artística tão promissora e inspiradora, e recheada de talentos. Obviamente falo com demasiada excitação mas, depois de ver a exposição da nossa querida Joana Vasconcelos, somos tocados com uma energia fora do normal. A nossa rainha das latas e dos trapos é grandiosa em tudo… Tudo mesmo, a começar por ela própria... o nome dela é grande... o espaço que... lhe dão para as suas (...)

Impressões em três linhas

01.09.23
A seleção espanhola de futebol feminino venceu o Mundial. Espanha orgulha-se de revelar ao Mundo que a grandeza do seu desporto também se verifica nas mulheres. E que elas também tem o poder de transformar essas conquistas numa grande novela.   Por: Filipe Fidalgo

A indústria do pão por André Schiffrin

29.07.23
Se há coisa que aprecio mais do que livros é de pão. Se me oferecem metáforas com pão para entender o funcionamento do mercado dos livros eu entendo. Foi o que André Schiffrin fez no seu livro O NEGÓCIO DOS LIVROS - COMO OS GRANDES GRUPOS ECONÓMICOS DECIDEM O QUE LEMOS (se calhar foi pelo título longo que isto não vendeu). Que pena, este pequeno livro da LetraLivre ter saído em 2013 e não em 2023, já que, tal como as ervas daninhas saltam em terra fértil, também os temas (...)

Impressões em mais do que três linhas

19.06.23
Como ler unicórnios com José Milhazes Houve tempos que ficava bem um Batatinha no horário da tarde na televisão. Com o eclodir da guerra, Milhazes ganhou o seu espaço e as suas horas semanais ilustram a qualidade que a comunicação social dá a temas importantíssimos. Ninguém o dispensa, fala de tudo o que tem a ver com a Rússia, como se, falar de um país que tem o tamanho de um continente, fosse falar do município da Póvoa de Varzim. Este Ronaldo do comentário também é o (...)

SATYRICON

18.06.23
Recrutamento Se és conservador, católico, bem vestido, com ideias do passado assentes numa boa capacidade argumentativa para as recriar em ambiente contemporâneo, se tens bom estatuto social, desdém a pobres, se a família é uma referência e obrigação de vida, se já tiveste alguma representação em associações, não percas tempo e regista-te no CDS - PP. Temos o orgulho de ser o partido que, em todos os principais órgãos de comunicação social, é representado por mais do (...)

Impressões em três linhas

12.05.23
Uma das razões do forte apoio dos povos da União Europeia à Ucrânia contra a Rússia tem que ver com a defesa daquilo que são os valores ocidentais. O reitor da Universidade de Coimbra despediu Vladimir Pliassov, coordenador do Centro de Estudos Russos, por alegadamente ter feito propaganda da invasão russa. Não foi feito inquérito nem investigação do caso.   Por: Filipe Fidalgo

Impressões em três linhas

11.04.23
A invasão à Ucrânia levada a cabo pela Rússia comemorou 1 ano. A guerra civil ucraniana vai comemorar 9 anos. A guerra civil no Iémen já leva 8 anos. As guerras afegãs já vão quase em 45 anos. O conflito israelo/palestino dura desde 1965… 58 anos!   Por: Filipe Fidalgo

Teorias Cínicas Liberais

18.03.23
O que é que é uma cultural liberal? Perguntem a Helen Pluckrose. Juntamente com James Lindsay, um “matemático com formação em física”, escreveram um livro chamado TEORIAS CÍNICAS, editado pela Guerra & Paz. O livro tem o mérito de dar porrada nas teorias woke - esmurrando vários conceitos com pormenor e exemplos, no entanto, se o deslindarmos encontramos um fim de básica promoção liberal, desmedida e sem controlo.  Logo a abrir temos uma romântica e ousada (...)

Um mistério chamado Rentes

29.01.23
O desprezo que é dado à obra de José Rentes de Carvalho no templo literário nacional é um sério caso de estudo. De recordar a cacetada dada pelo crítico do jornal Público,António Guerreiro que, no mesmo jornal no dia 4 de Maio de 2016, classificou a obra de ser “manifestação exuberante de hiperliteratura”, destacou a “verbosidade”, “desvios fraudulentos das palavras” para terminar puxou finalmente o gatilho e atirou-lhe apenas uma estrela. Interessante perceber (...)

A piada como escape ao difícil acto de pensar

22.11.22
Conversavam assim Jacques com o seu amo: “Na vida meu, amo, não sabemos com o que havemos de alegrar-nos e com o que havemos de afligir-nos…caminhamos pela noite por baixo do que está escrito lá em cima, igualmente insensatos dos nossos desejos, na nossa alegria e na nossa aflição. Quando choro verifico muitas vezes que sou um tolo - E quando ris? - Verifico ainda que sou um tolo, porém, não posso deixar de chorar nem de rir: e é isso que me enfurece - o que tentaste? - (...)

Já não há bengalas

10.11.22
Dizia assim a notícia: “Quando esta tarde subia o Chiado o nosso presado e illustre amigo sr. dr. Alfredo Pimenta, o escriptor sr. Aquilino Ribeiro vibrou-lhe uma bengalada de que resultou um ferimento que foi pensado no Posto da Misericordia” - Jornal o Dia, nº 2038, 16 de Abril de 1923. Assim reagiu Aquilino Ribeiro às críticas que lhe foram endereçadas por Alfredo Pimenta numa rubrica de jornal (Notas de um diletante), onde, entre outras observações, apelida a obra de (...)

Impressões em três linhas

24.10.22
O quadro de Claude Monet “Les Meules” foi atacado por dois activistas ambientais na Alemanha. Estes legitimam o acto lembrando que o uso de combustíveis fósseis mata-nos a todos. Não foi diagnosticado qualquer debilidade mental nestes indivíduos, ainda. Por: Filipe Fidalgo